sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Rapazes fora do meio

Rapazes fora do meio
Escândalo nos cafundós

É sabido que os machos de qualquer espécie animal adoram exibir sua masculinidade, principalmente os jovens adultos. O Fratmen.TV é um site de Los Angeles, Califórnia, especializado em apresentar ao vivo e em gravações homens de corpo inteiro, desinibidos, pavoneando-se. Os modelos são jovens desportistas que fazem caras e bocas, posam, punhetam, gozam e se lavam com água e sabão. A sensualidade captada pelas lentes dos fotógrafos é o ponto forte destes filmes curtos, distribuídos apenas online. O olho do fotógrafo coincide com o nosso e a câmera flutua com suavidade sobre seus corpos, capta detalhes que só os amantes mais atentos são capazes de perceber. Em alguns momentos ela tenta ser invasiva mas recua, nunca chega a ser proctológica. Essa sintonia entre fotógrafo e fotografado, cumprindo um roteiro tão elementar, é o equivalente à intimidade que se estabelece entre dois amantes que se deixam levar pelo desejo, o limite é a imaginação.



Os filmes apresentam punheteiros inacreditavelmente lindos em solos e duplas. Os solos são tão pueris que não podem ser classificados de hardcore. As duplas não fazem sexo, o desejo se serve da mão, como todas as escrituras. Mostrar homens masturbando-se é uma fórmula de sucesso antigo que estava em desuso e que sofreu um redesign para ser uma opção aos filmes excessivamente pesados que assombram por aí.


No rastro do sucesso já há algumas produtoras e diretores copiando o “estilo” Fratmen.TV. Mas o criador do serviço se superou e criou também o Fratpad.TV, uma versão semelhante mas com brincadeiras mais “pesadas” e coletivas. Sobre este criador há de se fazer um comentário. Ele é alguém, ou uma equipe, que usa o sugestivo pseudônimo Pavlov´s Dog. Essa expressão é empregada para descrever quem age instintivamente, em alusão aos cachorros que o médico russo Ivan Petrovich Pavlov (1849-1936) usava nas suas experiências. O estudo dos reflexos condicionados daqueles cães que babavam à simples menção da palavra lingüiça, deram origem às teorias da psicologia comportamental. Pavlov deixou para humanidade a máxima que diz “baba-se por onde se sente vontade de comer”.

Os filmes da Fratmen.TV exploram no homem esses estímulos cujo reflexo é a ereção e a baba peniana. São filmes que permitem que a platéia crie com a imaginação as situações ideais. Os próprios modelos também aparecem fantasiando com alguém ausente. O mesmo roteiro (suja e lava / punheta e banho) é repetido à exaustão em todos os filmes como um ato condicionado, diário, de um solitário onanista. Mudam apenas as locações, os modelos permanecem olhando apaixonados para o próprio pau. Se apreciam tanto o próprio devem também apreciar o pau alheio.

Estes filmes não são recomendados para quem gosta de sexo hardcore entre adultos maduros e pode ser interessante para o público feminino. Neles se descobre a graça de, no sexo, não pertencer a ninguém. Neles a maldição de Narciso parece não ter sentido destrutivo. Grosso modo, esse substantivo composto (frat + men) significa “fraterno”. E é isso que eles são, homens que se relacionam fraternalmente consigo mesmos, com os seus jogos, com sua própria imagem e, possivelmente, com o prazer de saber que alguém se satisfaz em vê-los. São fraternos e altruístas porque permitem o prazer de pelo menos vê-los gozando e labuzando-se no próprio sêmen. Em substituição às relações homoafetivas e homodestrutivas eles praticam homosolipsismo higiênico.

No começo deste mês de agosto um blog chamado "The Scarlet Project", que afirma publicar notícias, fofocas e escândalos do campus da Universidade de Nebraska, recebeu de uma fonte “anônima” e publicou fotos de dois estudantes que posaram para o Fratmen.TV. Em toda existência desse blog esse foi o único post relevante. Não sem razão, a notícia causou um grande rebuliço na universidade e a notícia chegou quase imediatamente ao bairro de Santo Amaro das Salinas, no Recife.

Os rapazes são atletas das equipes universitárias de wrestling, aquela luta de agarra-agarra que é praticado com pouca roupa e mais parece a preliminar do coito que vai mais tarde ocorrer no vestiário. O wrestling profissional moderno se transformou em representação no qual os participantes criam um espetáculo de entretenimento simulando um combate desportivo. Depois disso se tornou freqüente encontrar produtoras que realizam filmes com lutas em que os dois combatentes acabam fazendo sexo. Entre elas a Big Blue Productions, US Male, Catalina, Vivid Man, Hustler, Cam-Am, Zeus, entre outras, lançam filmes que podem ser encontrados com facilidade.

Qualquer um que protagoniza esse tipo de filme deve ter consciência dos riscos pessoais que corre se sua identidade for descoberta. Mas a questão que inquieta é sobre a vantagem, em dólares, que há em denunciá-los, fazendo escândalo nos cafundós dos Estados Unidos e aumentando as vendas dos filmes no mundo inteiro. É irrelevante um escândalo sexual que aconteça tão longe, mas vamos aos fatos, eles têm mais imbróglio que os roteiros dos filmes da Fratmen.TV e menos do que uma novela de Jacarepaguá.

Os rapazes se chamam Paul Donahoe e Kenny Jordan e fazem parte das equipes de wrestling da Universidade de Nebraska. Esse escândalo onanista-desportivo no mês das olimpíadas tem detalhes suficientes para que se desconfie que se trata de um lance autopromocional da própria FratMen.TV. A fonte “anônima” que entregou as fotos dos rapazes ao blog "The Scarlet Project" pode ter sido alguém que represente os interesses da produtora.

Se não foi assim e a tal fonte “anônima” é apenas alguém fazendo picuinha com os dois rapazes, este episódio pode dar credibilidade à FratMen.TV por eles realmente cumprirem aquilo que prometem no site, mostrar homens “fora do meio”, héteros convictos, estudantes, desportistas, caipiras. Eles seriam diferentes das outras produtoras que fazem filmes com modelos profissionais, gente da capital, gays exibicionistas, héteros que dão a bunda só porque o papel exige. Se depois ficarmos sabendo que houve uma armação a credibilidade do FratMen pode até ficar abalada, mas o factóide já terá cumprido seu desígnio perfeitamente. Nascerá desse episódio dois novos astros do pornô gay americano?

O Paul Danahoe usa o pseudônimo de Nash, tem 22 anos, faz parte da equipe de seniores de Davison, Michigan, e já foi fichado na polícia por alguma desordem sem importância. A performance dele começa na cama, onde acorda, bate uma, simula que come alguém para exibir o movimento do traseiro, goza e vai tomar banho. No chuveiro bate outra, sai e goza na sala. Não há trilha sonora, apenas som direto com a respiração ofegante e o barulho da água. Olhos verdes, cabelo loiro, ele tem um corpo perfeito, com umas poucas e discretas tatuagens. O pau circuncidado é médio e a bunda é de superior qualidade. O cenário é chique e o rapaz é fino, suas feições são delicadas. No final sorri descarado para a câmera, criando um clima de cumplicidade que indica que tá na hora de outro banho purificador.

Kenny Jordan usa o pseudônimo de Cal, é mais novo que Paul Danahoe, ainda está na equipe de juniores de Frankfurt, Illinois, mas já obteve dois títulos estaduais na categoria 125-pound (56 quilos) e um título nacional na categoria estudantil 133-pound (60 quilos). Ele tem boca e dentes grandes, lábios carnudos, nariz grosseiro, olhos profundos, a testa é estreita e o queixo comprido. A composição do seu rosto é rude mas encanta. Ele começa na sala, usando calça jeans, sem cueca, coloca um DVD pornô, bate uma punheta, goza e vai para o chuveiro. Depois vai para cama, enxuga-se com uma toalha e bate outra. Repete os movimentos do traseiro e o sorriso descarado no final igual ou melhor que Paul Danahoe. Não há trilha sonora, o ambiente é quase idêntico a todos os outros filmes, a diferença é que Kenny Jordan é um dos melhores modelos que a FratMen.TV já revelou ao mundo, só se comparando a Eli, um raro modelo negro do cast da produtora.

Acompanhar Paul Donahoe e Kenny Jordan na punheta é uma forma prática e econômica de estar lá com eles, dois universitários, que precisam de dinheiro para pagar os estudos e por isso fazem esse tipo de show. Espera-se que eles façam um filme juntos, punhetando, lutando, se comendo, que voltem às telas. Essa polêmica bizantina não vai durar muito. Restará os filmes e os rapazes dispostos a fazê-los aos milhares. Homens bonitos e bem dotados como eles são poucos e a lei do desejo deve garantir que eles façam o que lhes apetece, desde que não incorram em risco para si nem para os outros.

E os jovens não devem esquecer que escolas, ginásios e igrejas, locais onde muitos deles descobrem e iniciam a vida sexual com os amigos, são reduto de gente hipócrita, conservadora e careta, não importa se estejam em Nebraska, Santo Amaro das Salinas ou Jacarepaguá. Paul Donahoe e Kenny Jordan podem sofrer sanções por ter causado violações ao código de conduta dos atletas do National Collegiate Athletic Association – NCAA e da Universidade onde estudam, se isso acontecer, essas instituições perdem dois atletas e os filmes pornôs ganham dois gatinhos do rabão. Os rapazes “fora do meio” finalmente entrariam no “meio”.


Saiba mais:

Acesse
FratMen.TV

6 comentários:

  1. jjoni1:16 PM

    Que gatinhos!!Não sou tão fã de filmes solos,mas com esses gatos eu até faço um esforço...rs!

    ResponderExcluir
  2. eles são lindos
    pelo visto o esquema da fratmen é parecido com o do sean cody que por sinal eu sou fã de carteirinha

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2:44 PM

    Esses caras que se dizem "fora do meio" são do tipo que "comem pelas beiradas".

    ResponderExcluir
  4. Cara, esses dois são deliciosos. Queria ter um vídeo deles pro meu blog...

    ResponderExcluir
  5. Eles são muito gatos mesmo. Pena que aqueles paus de americanos circuncisados deixa um pouco a desejar. Por isto tenho mais atração pela beleza física que pelos seus paus.

    ResponderExcluir
  6. Onça Pintada7:09 PM

    Sempre peço ajuda aos universitários e esses dois são uma delícia, só lamento que estejam longe.

    Vi os filmes deles e não se parecem com os de Sean Cody porque Cody bota os caras para transar.

    ResponderExcluir

Leu? Agora comente... e divulgue também!